4 Dicas Para Conhecer O Quadrinho Nacional

Dia 30 de janeiro é a data na qual celebra-se exclusivamente a produção das Histórias em Quadrinho Brasileiras. A data foi criada em 1984 por iniciativa da AQC-ESP (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo) e o dia 30 de janeiro foi escolhido porque neste dia, em 1869, foi publicada na revista “Vida Fluminense” a primeira História em Quadrinho do Brasil, de nome “As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte”, escrita e desenhada por Angelo Agostini.

De 1869 para cá muita coisa aconteceu, e a História das Histórias em Quadrinhos é riquíssima em fatos, acontecimentos, personagens e publicações que aconteceram no Brasil desde então. Aos poucos, nós vamos contar essa História aqui, em textos que iremos publicar futuramente.

O mercado brasileiro hoje em dia é rico em publicações independentes e tem uma dinâmica própria de produção, divulgação e comercialização. Temos HQ’s brasileiras que já receberam prêmios internacionais importantes, e recentemente 2 títulos foram adaptados para o cinema.  

Por isso, para comemorar o Dia do Quadrinho Nacional nós preparamos estas dicas para você conhecer um pouco mais sobre a produção de Histórias em Quadrinhos Brasileiras e ficar por dentro do que acontece com a nona arte brasileira pelo Brasil e pelo mundo.

Fontes de Informação

Como a natureza do mercado é produzir uma grande quantidade de revistas independentes, você encontrará muitas fontes divulgando produções brasileiras… em muitos casos, os próprios autores divulgam em seus perfis nas redes sociais.

Mas também existem sites e jornalistas da área, além de blogueiros sérios e admiradores que focam principalmente em divulgar os Quadrinhos Brasileiros, como o “Zine Brasil”, idealizado pela Michelle Ramos. 

https://zinebrasil.wordpress.com/

Já a Ugra Press é uma iniciativa que junta “livraria, loja virtual e editora”. Localizada em São Paulo, a UGRA PRESS também trabalha com quadrinhos estrangeiros, mas divulga e ajuda a produzir muitas obras brasileiras, sempre focando no mercado independente.

https://www.ugrapress.com.br/

Um “cara” bem legal de acompanhar é o Ramon Vitral, do site “Vitralizando”. Ele escreve sobre quadrinhos em geral, mas também dá muitas dicas de quadrinho nacional com qualidade e tá sempre trazendo novidades do mercado nacional.

https://www.vitralizado.com/

E tem também a revista “Mundo dos Super-Heróis”, já conhecida da galera. Apesar da “Mundo dos SH” trazer matérias sobre quadrinhos estrangeiros, ela também tem algumas seções que falam exclusivamente sobre os Quadrinhos Brasileiros, não só lançamentos e novidades, mas também o resgate histórico de grandes artistas e personagens genuinamente brazucas.

Onde Comprar

Por incrível que pareça, encontrar onde comprar Quadrinhos Brasileiros não é tão fácil assim. Infelizmente a distribuição para jornaleiros é reduzida a praticamente zero.

Os títulos de maior sucesso, como por exemplo, “Tungstênio”(2016) ou “Carolina”(2018), ambas premiadas no Festival de Angoulême –  o maior festival do gênero no mundo –  são encontradas em grandes livrarias ou lojas especializadas em quadrinhos. Não se assuste se você entrar numa loja especializada em quadrinho e não encontrar nenhuma HQ Brasileira… infelizmente isto é comum.

Muitos artistas vendem suas próprias revistas através de seus contatos em redes sociais ou nos seus próprios sites ou nas feiras que acontecem pelo país. Isto é bem comum.

Mas como já explicamos acima, o mercado brasileiro tem uma dinâmica de mercado independente muito forte, logo, uma estratégia muito utilizada pelos artistas é o “financiamento coletivo” ou “crowdfunding”. E aí vem a parte mais legal…

Os artistas divulgam seus projetos no Catarse, o mais famoso site de “crowdfunding” do Brasil. Eles lançam o projeto no Catarse, divulgam em suas redes sociais, pedem ajuda para amigos e veículos de comunicação divulgarem também e assim promovem o financiamento coletivo do projeto.

Se o projeto alcançar a meta necessária para se produzir a revista, excelente, a revista será impressa na gráfica, autografada, embalada e enviada via Correios para cada participante do financiamento coletivo, e cada qual receberá seu exemplar e mais as recompensas determinadas conforme o valor da sua participação (poster, imã, camisa, etc).

Porém, se o projeto não alcançar a meta estipulada… ele fica inviável. Porque os custos de impressão são altos para um artista independente, ou até mesmo renomado, bancar sozinho.

É tanto artista que divulga seu projeto no Catarse que alguns poucos anos atrás o site chegou a divulgar que a maior parte do seu faturamento vem dos projetos de quadrinhos.

https://www.catarse.me/

Eventos e Premiações

Ao contrário dos poucos locais que comercializam HQ’s brasileiras, acontecem muitas feiras, exposições, workshops e encontros relacionados a quadrinhos pelo Brasil afora. Esses eventos acabam abordando quadrinhos estrangeiros também, mas a quantidade de profissionais e fãs de quadrinhos nacionais também é forte.

O mais importante e tradicional evento atualmente no Brasil é o FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos – que acontece em Belo Horizonte, MG.

Importantes e renomados artistas brasileiros apresentam seus trabalhos no FIQ, que este ano entrará em sua 10ª edição. É a mais tradicional porque acontece regularmente, tem o maior alcance de todos os eventos que falam exclusivamente sobre quadrinhos e fala-se muito sobre quadrinho brasileiro no FIQ. Muito mesmo.

http://www.fiq.pbh.gov.br/

Com um alcance de público muito maior, mas não falando somente sobre quadrinhos, a CCXP é uma iniciativa do grupo Omelete e apesar de falar muito sobre quadrinhos estrangeiros e outros tema do universo pop, eles também contam com a participação de vários artistas brasileiros, se apresentando e divulgando seus trabalhos e novos projetos. Acontece em São Paulo e também é uma boa oportunidade para conhecer pessoalmente os artistas brasileiros, pegar autógrafos e conhecer seus novos projetos.

https://www.ccxp.com.br/

Duas premiações merecem destaque entre os artistas e o público nacional: o Trófeu HQMix e o Prêmio Angelo Agostini.

O Troféu HQMix é apresentado por Serginho Groisman, e foi idealizado em 1989 por José Alberto Lovetro e João Gualberto Costa, respectivamente o Jal e o Gual. Em sua 31ª edição,o Trófeu HQMix tem entre suas particulares sempre homenagear um artista brasileiro fazendo um “troféu” diferente a cada edição, no formato de um personagem ou obra relacionada com o artista homenageado.

https://hqmix.com.br/

Ano passado os homenageados foram Maurício de Sousa e Ziraldo, e o troféu era a Mônica junto com o Menino Maluquinho.

FOTO

O Prêmio Angelo Agostini foi criado pela AQC-ESP (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo) e está em sua 35ª edição. O nome do prêmio é uma homenagem a Angelo Agostini, o qual mencionamos anteriormente, é considerado o autor da primeira História em Quadrinho Brasileira, “As Aventuras de Nho Quim”.

http://aqcsp.blogspot.com/

Quadrinhos Brasileiros no Cinema

Isso mesmo que você leu, temos 2 filmes baseados em 2 História em Quadrinhos Brasileiras. Claro, quem tem menos de 35 anos vai se lembrar dos desenhos da Mônica que passavam no cinema, e eram excelentes e encantadoras animações.

Mas agora estamos falando das HQ´s “Tungstênio” e “O Doutrinador”.

“Tungstênio” é a HQ de Marcelo Quintanilha premiada em 2016 no Festival de Angoulême na categoria HQ Policial. O Festival de Angoulême é o mais importante do mundo, e o filme que leva o mesmo nome da HQ estreou nos cinemas brasileiros, distribuídos pela Globo Filmes.

“O Doutrinador” é uma HQ de Luciano Cunha e ganhou destaque em território nacional devido ao seu interessante e delicado tema central: um justiceiro brasileiro que pune os políticos e empresários brasileiros corruptos.

A HQ foi ganhando destaque, com volume de vendas acima da média e virou filme. Dirigido por Gustavo Bonafé, o longa-metragem estreou em 2018 e foi distribuído pela Downtown filmes.

Mercado em Ascensão

Ao longo da história, os Quadrinhos Brasileiros sempre tiveram destaque, artistas dedicados e trabalhos de excelente qualidade, mas de alguns anos para cá o mercado nacional tem apresentado um forte crescimento.

Aumento na produção de obras, mais artistas se dedicando ao segmento, novos talentos trazendo belíssimos trabalhos e nomes de peso conquistando mercados internacionais. Esses e outros fatores tem contribuído para uma crescente valorização e apreciação das HQ’s brasileiras.

Aos poucos, abordaremos com mais profundidade todas essas movimentações do mercado, trazendo novidades e fazendo um resgate histórico desta arte tão marginalizada e por isso mesmo tão cativante e rica.

Um ótimo 30 de janeiro para todos nós, Dia do Quadrinho Nacional!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta